Tubarão branco está ameaçado de extinção

Na vida real, o temido tubarão branco, vilão de diversos filmes de suspense, é quem pede proteção. A espécie está seriamente ameaçada de extinção e acaba de ser incluída no Anexo I da Convenção de Espécies Migratórias de Animais Silvestres (CMS), cuja reunião trienal terminou hoje, em Bonn, na Alemanha. Isso significa que os países em cujas águas ainda existem tubarões brancos - no Pacífico ou Mediterrâneo, em especial - devem proibir a pesca e passar a protegê-los da captura acidental em redes industriais. Também devem proteger seu habitat contra poluição ou outros tipos de degradação, que possam afetar os tubarões.A situação de 35 outras espécies migratórias também foi examinada durante a reunião, onde os 80 países signatários da CMS (da qual o Brasil não faz parte) trataram das medidas de proteção, conforme a evolução das populações de cada animal. Três espécies de baleia - fin, sei e cachalote - foram incluídas no Anexo I, merecendo proteção máxima. Outras três - as baleias minke da Antártida, Bryde e pigméias brancas - entraram no Anexo II, o que significa que devem ser objeto de acordos internacionais para monitoramento e manejo de suas populações, de forma a evitar que cheguem à situação crítica das espécies incluídas no Anexo I.As autoridades reunidas em Bonn ainda decidiram requisitar proteção máxima para uma espécie de camelo raro, natural da Mongólia e China, cuja população está reduzida a cerca de mil indivíduos, menos do que os pandas gigantes. O camelo sobrevive tomando apenas água salgada, num deserto usado para testes nucleares e, por isso, vem merecendo atenção especial de pesquisadores.Entrou igualmente para o Anexo I, o boto cego dos rios Indo e Ganges, que atravessam a Índia, Paquistão e Bangladesh. A espécie está ameaçada pela poluição e construção de represas. E foi adotada uma resolução em favor das tecnologias de proteção a aves migratórias contra acidentes em fios de alta tensão, turbinas de vento (de produção de energia eólica) e espinhéis (linhas de pesca em alto mar).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.