Tubarão surpreende com travessia longa em tempo recorde

Com uma velocidade não inferior a 4,7 quilômetros por hora, o tubarão branco Nicole atravessou o Oceano Índico, da África do Sul até a Austrália, em 99 dias. Não há registro de que essa velocidade tenha sido atingida por nenhum outro organismo marinho. A marca pode ser comparada apenas à velocidade de deslocamento dos rápidos atuns.Foram 11 mil quilômetros em alta velocidade e, com o retorno à África do Sul, nove meses depois, ela se tornou recordista em travessias transoceânicas de ida e volta.Nicole, uma fêmea de Carcharodon carcharias, foi monitorada com satélites, comunicadores e modernas técnicas fotográficas e revelou detalhes que surpreenderam os pesquisadores de várias instituições da África do Sul e da Wildlife Conservation Society, dos Estados Unidos.Até hoje não se tinha notícia de que haveria algum tipo de comunicação entre as populações dos tubarões da África e da Ásia. Além disso, os cientistas não tinham noção da vulnerabilidade desses. A forma como ocorre a migração torna esses animais presas fáceis para os grandes barcos da pesca comercial.Em 66% do tempo, o peixe, que chegou até os 980 metros de profundidade em alguns momentos, permaneceu a pouco menos de 5 metros de profundidade.O retorno de Nicole (nome dado à fêmea P12 em homenagem à atriz australiana Nicole Kidman) à África do Sul indica, segundo os pesquisadores, que esses tubarões vão à Austrália para procriar."Há muitos alimentos na África do Sul e ela estaria consumindo energia demais só para ir à Austrália para comer", analisa Ramon Bonfil, da Sociedade Conservacionista da Vida Selvagem, em Nova York.A profundidade em que a viagem foi feita na maior parte do percurso também intriga os cientistas. Eles suspeitam que esses tubarões possam utilizar alguma referência celeste para chegar se guiar por distância tão longa.Os pesquisadores estão entusiasmados e, ao mesmo tempo, preocupados. Os resultados da pesquisa estão publicados na edição desta sexta da revista Science.

Agencia Estado,

07 de outubro de 2005 | 12h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.