Tumbas mostram provável influência maia em Teotihuacan

Os maias podem ter tido grande influência sobre a cultura de Teotihuacan, apesar da distância que separava as duas civilizações. Sepulturas localizadas no interior da Pirâmide da Lua, um dos marcos da antiga cidade de Teotihuacan, no planalto central do México, revelaram indícios de rituais semelhantes aos dos maias, que dominaram a Península de Yucatán (sudeste mexicano) e a Guatemala entre 2.600 a.C. e 900 d.C., antes de serem dizimados pelos europeus no século 16.A cultura Teotihuacan teve curta duração (200 a.C a 200 d.C) é muito pouco conhecida e, por isso, os novos indícios são muito relevantes. Os arqueólogos acreditam que, pela posição dos ossos e pelos objetos encontrados, nobres daquela civilisação foram sepultados vivos ali, em cerimônias. Nas tumbas foram encontrados artefatos como colares de jade e outras jóias, além de sinais de oferendas.Os objetos das últimas descobertas já estão expostos no Museu de Antropologia, na Cidade do México. Os arqueólogos expuseram também bonecos simulando a provável posição das pessoas no ritual de sepultamento.Teotihuacan chegou a ser a sexta maior cidade do Novo Mundo durante os 400 anos em que floresceu sua civilização. Foi construída no platô de 2.000 metros de altitude onde, 700 anos mais tarde, seria erguida a capital dos astecas, Tenochtitlan ? também destruída pelos espanhóis no século 26 ?, e próximo de onde hoje é a capital mexicana.Calcula-se que, no auge da civilização, a cidade tenha abrangido uma área de 20 quilômetros quadrados, com 60 mil a 80 mil habitantes. A decadência de Teotihuacan parece ter sido rápida, e suas causas ainda não foram esclarecidas - apesar de os primeiros estudos sobre esta civilização terem começado há mais de 100 anos.

Agencia Estado,

20 de maio de 2004 | 11h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.