UE decide tomar novas medidas contra a gripe aviária

Os países da União Européia (UE) decidiram nesta quinta-feira tomar uma série de novas medidas para conter a expansão da gripe aviária e impedir o contato entre aves domésticas e migratórias. A partir de agora fica proibido a exposição de aves em mercados, feiras, exposições ou qualquer outro evento que não tenha a autorização dos Estados membros. Também foi definido a vacinação preventiva das aves nos zoológicos e medidas de confinamento nas fazendas situadas em zonas de risco de gripe aviária.Um dia após a confirmação do primeiro foco da doença na parte européia da Rússia, a UE ampliou as zonas do país atingidas pela proibição das importações de pássaros e plumas. Até hoje, o embargo se aplicava apenas à Sibéria e às regiões leste dos Montes Urais.Agora, as importações estão proibidas em todas as regiões da Rússia, com exceção de Kaliningrado e de algumas regiões na fronteira com a Finlândia. Todas as medidas, incluindo a que limita o uso de certas aves, como as perdizes, pelos caçadores, foram aceitas pelo Comitê da Cadeia Alimentar, grupo formado por especialistas de todos os países. Vítimas - As decisões foram tomadas no dia em que a gripe aviária fez sua 67ª vítima. Após um ano sem registrar casos da doença, a Tailândia anunciou a morte de um homem de 48 anos. O diagnóstico da contaminação pelo vírus H5N1 foi confirmado pelo primeiro ministro Thaksin Shinawatra.A vítima havia sido hospitalizada com uma grave pneumonia no último domingo, depois de duas semanas que ele matou, cozinhou e comeu um frango contaminado de seu vizinho. Na região havia casos de aves que haviam morrido por causas estranhas - o teste para se ter a certeza da contaminação não foi feito. Também há suspeita de que o filho do homem, um garoto de 7 anos que está internado em Bangcoc com febre e infecção pulmonar, esteja infectado. Outro caso de pai e filho hospitalizados em Taiwan ainda não foi confirmado.A morte do tailandês abriu novas discussões sobre a forma de contágio da doença. Até agora os casos de morte por gripe aviária estavam ligados apenas ao contágio dos humanos com os animais doentes. Oficiais de saúde diziam que não era perigoso comer carne de frango bem cozida.Outra possibilidade discutida é a de o vírus poder ser transmitido entre humanos, espalhando mais facilmente a doença e matando milhões de pessoas no mundo todo.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

20 de outubro de 2005 | 20h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.