UE intensifica discussões contra mudança climática

O objetivo é conseguir um acordo antes do final do ano para reduzir pelo menos em 20% as emissões de CO2

Efe

03 de julho de 2008 | 17h04

Os ministros do Meio Ambiente da União Européia (UE) começaram nesta quinta-feira, 3, a negociar mais a fundo medidas para lutar contra a mudança climática propostas pela Comissão Européia (CE, órgão executivo da UE) e que a França, atual presidente do bloco, transformou em uma de suas grandes prioridades. O objetivo da França e de seus parceiros é conseguir um acordo antes do final do ano para reduzir pelo menos em 20% as emissões de dióxido de carbono (CO2) até 2020 e fazer com que as energias renováveis representem no mínimo 20% da consumida em toda UE. Por enquanto, os países do Leste Europeu, liderados pela Hungria, já manifestaram sua rejeição em utilizar o ano de 2005 como referência para calcular como cada Estado deverá contribuir para diminuir em 20% as emissões de gases causadores do efeito estufa até 2020. Esses países argumentam que o ano de 2005 favorece os membros mais ricos da UE, por isso pedem para se levar em conta a situação de 1990, o que permitiria a eles saírem mais favorecidos. O pedido vai de encontro à posição da CE, que argumenta que antes de 2005 não havia dados precisos sobre as emissões de CO2 de cada país. Os ministros negociarão esses aspectos em uma reunião a portas fechadas esta tarde. O ministro do Meio Ambiente alemão, Sigmar Gabriel, disse que a Presidência francesa da UE conseguirá um compromisso antes de dezembro. Os 27 países membros da UE se comprometeram a reduzir suas emissões em 30% se conseguirem chegar, na cúpula de Copenhague em 2009, a um acordo internacional para depois de 2012, ano em que encerrará a vigência do Protocolo de Kioto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.