Um terço da Terra corre risco de virar deserto

Uma área do tamanho de Portugal (cerca de 92 mil km²) foi transformada em deserto na China desde os anos 50, e pelo menos 31% do território da Espanha está em processo de desertificação, segundo o alerta que a Organização das Nações Unidas pretende lançar na quinta-feira, em Bonn (Alemanha), marcando o Dia Mundial do Combate à Desertificação. A ONU quer mostrar que, hoje, um terço da superfície da Terra está sob risco de virar deserto.Os riscos mundiais da desertificação estão ficando ?substanciais e evidentes?, afirma o secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan em comunicado lançado no mês passado.A perda de terras com vegetação e áreas cultiváveis ocorre em velocidade duas vezes maior do que a verificada na década de 70, conforme os dados da ONU, causando problemas que vão desde a migração de famílias das zonas rurais para cidades superpopulosas até a piora das condições atmosféricas em decorrência da perda de matas, passando pela fome, pobreza e violência.Agricultura e aquecimento?Áreas inteiras devem se tornar inabitáveis?, prevê Michel Smitall, porta-voz das Nações Unidas que trata da questão. ?É uma tragédia que se arrasta lentamente.? Agricultura predatória, queimadas, mananciais sobrecarregados e explosões demográficas estão entre as principais causas, com o auxílio dos crescentes efeitos do aquecimento global ? ressecando ainda mais os solos afetados.?Não é tão dramático como um grande desastre, tipo terremoto, mas há uma tendência de degradação crescente?, diz Richard Thomas, diretor do programa de gestão de recursos naturais do Centro Internacional de Pesquisas Agrícolas em Áreas Secas, na Síria. Dez anosO alerta marca também os dez anos da Convenção do Combate à Desertificação. Além do evento em Bonn, a ONU pretende promover na semana que vem, em Brasília, um encontro para debater o tema.As áreas sob maior risco, segundo as Nações Unidas, são as próximas aos desertos já existentes ? muitas regiões da África Sub-Saariana e o entorno do deserto chinês de Gobi, por exemplo. Com o aumento da população, a pressão sobre os recursos naturais cresce e o ambiente fica mais suscetível à expansão do deserto.

Agencia Estado,

15 de junho de 2004 | 18h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.