Unctad defende substituição do petróleo

A substituição do petróleo por outras fontes de energia renovável, como quer as Nações Unidas pelo temor de uma nova crise energética, provocada pelo aumento dos preços no mercado internacional, é de extrema importância, mas isso só será possível a longo prazo, diz o secretário-geral da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad), embaixador Rubens Ricupero.Nesta semana, representantes de 150 países estão discutindo em Bonn, na Alemanha, o desafio de iniciar uma verdadeira "revolução" contra a dependência de petróleo. "O problema da dependência e o perigo que ela representa estamos vendo agora, com essa situação no Oriente Médio", explica o embaixador, que se encontra em São Paulo, onde está finalizando os preparativos para a maior e mais importante conferência da Unctad, que será realizada entre os dias 13 e 18 no Parque Anhembi.Ao citar alguns especialistas, Ricupero diz que o pico da produção de petróleo e gás será atingido dentro de alguns anos, começando, depois a declinar. Em conseqüência disso, acrescenta o embaixador, "o preço do barril deve subir, num primeiro momento, para US$ 50,00 e, depois, para US$ 100".Para o secretário-geral da Unctad, é importante começar desde já, assim como o Brasil fez com o álcool (etanol), programas que permitam uma "revolução" contra a grande dependência de petróleo. "Amanhã, quem sabe, poderá se encontrar uma solução até para o diesel", afirma Ricupero. Ele acredita, no entanto, que essa substituição levará tempo, provavelmente mais de uma década."É bom lembrar que 85% de todo o transporte mundial, inclusive o individual, dependem de petróleo. Substituir isso é muito difícil, razão pela qual terá de ser gradual", lembra o embaixador.Atualmente, cerca de 2 bilhões de pessoas não têm acesso à energia e a única alternativa de garantir isso para todos seria por meio do fornecimento de fontes limpas, renováveis e exploráveis por parte dos menos privilegiados. Especialistas afirmam que as fontes de energia renovável são praticamente inesgotáveis e acessíveis para todos, o que diminuiria consideravelmente a dependência do petróleo

Agencia Estado,

03 de junho de 2004 | 09h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.