Unesco cria filtro de água anti-arsênico para países pobres

A Unesco anunciou nesta segunda-feira a criação de um filtro de água anti-arsênico, "fácil de usar e barato" e que "pode contribuir para salvar dezenas de milhões de vidas" no mundo.O aparelho, que utiliza areia envolvida em óxido de ferro, foi concebido pelo instituto Unesco-IHE para a educação relativa ao uso da água, informou a organização em comunicado. O filtro não requer eletricidade nem conhecimentos especiais e "pode ser fabricado localmente a preços extremamente baixos", afirma a Unesco.Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a forte concentração de arsênico na água afeta seriamente a saúde de populações de muitos países, sobretudo China, Índia, Estados Unidos e Bangladesh, onde a situação é "particularmente alarmante".A Unesco-IHE criou dois tipos de filtros: um familiar, capaz de limpar de arsênico cem litros de água diários, suficientes para 20 pessoas, e outro industrial, destinado a companhias de águas.

Agencia Estado,

10 de outubro de 2005 | 16h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.