Universidades dos EUA criam banco público de transgênicos

Universidades estaduais dos Estados Unidos e fundações de pesquisa científica estão lançando um projeto para levar culturas de alta produtividade, manipuladas geneticamente, a países que enfrentam problemas com a fome mas não têm condições de pagar as taxas de licenciamento de biotecnologia.O projeto, divulgado nesta quinta-feira na revista Science, permitirá que as universidades compartilhem avanços na área da engenharia genética de plantas entre si, com cientistas e governos estrangeiros. Empresas também poderão acessar as pesquisas, desde que utilizem os resultados para ajudar os países pobres.O esforço é liderado pelas fundações Rockefeller e McKnight, e pelas universidades agrícolas da Califórnia e da Flórida. O projeto ?fornece um mecanismo para que países em desenvolvimento como Nigéria, Gana, Quênia e Etiópia tenham acesso à tecnologia no setor público?, disse Robert Goodman, catedrático de biologia molecular da Universidade de Wisconsin, Madison, que também trabalha na Fundação McKnight.

Agencia Estado,

10 de julho de 2003 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.