USP estuda combate internacional ao tráfico de pessoas

O objetivo é analisar o atendimento às vítimas de tráfico de pessoas a partir do Direito Internacional

Efe,

31 de outubro de 2007 | 08h45

O Grupo de Estudo de Mulheres e Temas Transnacionais (Gemttra) do Núcleo de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP) apresentou uma exposição da cooperação entre Brasil e Espanha para combater o tráfico de seres humanos, informou nesta quarta-feira, 31, a Associação Nacional de Estrangeiros e Imigrantes do Brasil (Aneib).   O órgão anunciou, em comunicado, que profissionais de diversas áreas da principal universidade pública do país avaliam a situação "levando em conta que a Espanha é um dos principais destinos do tráfico de mulheres brasileiras".   O objetivo "é analisar o atendimento às vítimas de tráfico de pessoas a partir do Direito Internacional".   Para a Aneib, a análise procura "ampliar o atendimento, analisando a cooperação internacional entre Brasil e Espanha, descobrindo as principais ações realizadas pelos dois países".   A análise partiu de um seminário realizado na segunda-feira para "verificar se as ações contra o tráfico de pessoas aplicadas em cada um dos dois países vêm sendo eficazes".   Texto corrigido para retificação de erros de informação às 16h36 de 01/11

Tudo o que sabemos sobre:
USPEspanhatráfico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.