Vaticano começa Encontro Mundial das Famílias no México

Até o próximo domingo, o evento discutirá o tema 'A família formadora dos valores humanos e cristãos'

Ansa e Efe,

14 de janeiro de 2009 | 16h15

O presidente do Conselho Pontifício da Família, Ennio Antonelli, inaugurou nesta quarta-feira, 14, na Cidade do México, o 6º Encontro Mundial das Famílias.  Em seu discurso inicial, o religioso afirmou que "a família é uma prioridade decisiva para o futuro da sociedade e da Igreja Católica" e defendeu a promoção de valores humanos e cristãos diante da cultura pós-moderna que caracteriza os dias atuais, "doente de individualismo e relativismo".  Participaram da cerimônia de abertura o presidente do México, Felipe Calderón, o secretário de Estado do Vaticano, Tarcisio Bertone, 30 cardeais, 200 sacerdotes e cerca de 8.000 cidadãos laicos.  Antonelli ressaltou o legado do papa João Paulo II, chamando-o de "o Papa da Família". Segundo ele, foi o antecessor de Bento XVI quem instituiu o Encontro das Famílias, iniciado em 1994, junto ao cardeal colombiano Alfonso López Trujillo.  Até o próximo domingo, o evento discutirá, sob o tema "A família formadora dos valores humanos e cristãos", assuntos como o matrimônio entre homossexuais, a eutanásia e a educação laica.  Evento paralelo  Após o seu encerramento, ocorre nos dias 19 e 20 de janeiro um evento paralelo, realizado por organizações civis e acadêmicas para discutir a situação das famílias mexicanas.  Segundo os organizadores, apenas 50% das famílias do país são formadas pelas figuras do pai, da mãe e dos filhos, e por isso é necessário criar uma política de estado e ações públicas que levem em conta as diferentes formações familiares hoje existentes. Priorizar apenas o modelo "ideal ou natural" de família, defendem, leva à discriminação de outras estruturas e formas de convivência.  Participam desta conferência, entre outras entidades, as organizações Católicas pelo Direito de Decidir e Population Council. A reunião conta ainda com o apoio do Colégio do México, do Instituto de Pesquisas Sociais e do Programa Universitário de Estudos de Gênero da Universidade Nacional Autônoma do México (Unam). Audiência O papa Bento XVI pronunciou nesta quarta-feira, 14, um novo discurso em favor da família tradicional baseada no casamento entre um homem e uma mulher, o que chamou de "célula insubstituível e fundamental da sociedade". O papa afirmou isto diante de cerca de cinco mil pessoas presentes na Sala Paulo XVI do Vaticano à audiência pública das quartas-feiras, às quais convidou a rezar e implorar a Deus a graça divina para o VI Encontro Mundial das Famílias, que começa hoje na Cidade do México e da qual participará em várias oportunidades através de videoconferências. "Que este importante evento eclesiástico ressalte mais uma vez a beleza e o valor da família, suscitando em tudo novas energias em favor desta insubstituível célula fundamental da sociedade e da Igreja", declarou o pontífice em italiano. Na saudação que dirigiu aos fiéis poloneses presentes, Bento XVI lhes disse em polonês que reza para que todas as famílias na Polônia e no mundo "consolidem e santifiquem o amor de Cristo". Bento XVI também fez referência durante a audiência à união conjugal entre homem e mulher, e afirmou que a Igreja, tomando como referência esta união, é considerada a noiva de Cristo, "que a tornou sua pagando com sua vida".

Tudo o que sabemos sobre:
religiãoBento XVI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.