Vaticano cria nova política para remunerar funcionários

Novas faixas de pagamento levarão em conta 'dedicação, profissionalismo, rendimento e retidão '

Ansa,

21 de novembro de 2007 | 19h03

A partir do próximo ano, os salários dos funcionários do Vaticano dependerão dos seus méritos. Este é um dos pontos de destaque anunciados entre as novas disposições sobre a remuneração de pessoal.   As novas medidas são resultado de um acordo fechado em uma reunião no Palácio Apostólico, presidida pelo cardeal secretário de Estado, Tarcisio Bertone, com os chefes dos tribunais eclesiásticos, os responsáveis do Estado do Vaticano e dos organismos vinculados à Santa Sé.   Segundo o comunicado difundido pela sala de imprensa do Vaticano, a disposição mais inovadora sobre os salários "é a que se refere aos novos parâmetros para as remunerações do pessoal de acordo com os dez níveis funcionais e, sobretudo, a introdução de categorias de mérito dentro de cada nível".   O texto explicou que "com essa novidade, se introduz, no sistema de retribuição do Vaticano, um elemento de incentivo e remunerações que consideram, dentro de um mesmo nível funcional, fatores como dedicação, profissionalismo, rendimento e retidão".   As novas regras entrarão em vigor no próximo 1º de janeiro, mas as categorias de mérito serão aplicadas de forma gradual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.