Vaticano estabelece excomunhão para mulheres sacerdotisas

Processo será automático tanto para as mulheres ordenadas como para os homens que as ordenarem

Efe

29 de maio de 2008 | 21h58

O Vaticano estabeleceu a excomunhão de todas as mulheres que forem ordenadas sacerdotisas, assim como a dos padres que as ordenarem, segundo um documento da Congregação para a Doutrina da Fé tornado público nesta quinta-feira, 29. Trata-se do "Decreto Geral Sobre o Delito de Ordenação Sagrada de uma Mulher", assinado pelo prefeito regional da Congregação, o cardeal William Levada, para tutelar a natureza e a validade da Ordem Sagrada. O decreto estabelece que "tanto quem confere a Ordem Sagrada a uma mulher, quanto a mulher que a recebe, incorrem na excomunhão latae sententiae (de maneira automática), reservada à Sede Apostólica". Esta disposição é válida também para "todos os ritos em comunhão com Roma", ou seja, as igrejas de rito oriental que reconhecem a autoridade do papa. O documento aparece publicado na edição do jornal da Santa Sé, L'Osservatore Romano, que ressalta que a medida entra em vigor a partir do momento de sua publicação. Nos últimos anos, mulheres de Suíça, Canadá, Estados Unidos, Áustria e Alemanha desafiaram o Vaticano e foram ordenadas sacerdotisas, sem obter, no entanto, o reconhecimento da Igreja Católica.

Tudo o que sabemos sobre:
Vaticanomulher

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.