Vaticano fecha 2010 com lucro de 9,8 milhões de euros

País estava na vermelho há três anos e diz que 'bom ano' dos museus foi responsável pelos resultados positivos

EFE e AP

02 Julho 2011 | 10h40

A Santa Sé voltou a lucrar depois de três anos no vermelho e fechou 2010 com lucro de 9,8 milhões de euros (R$ 22,17 milhões). O Estado da Cidade do Vaticano teve resultado positivo de 21 milhões de euros (R$ 47,5 milhões), informou neste sábado o Vaticano. Apesar dos bons resultados, as receitas com doações dos fiéis caíram 18%, somando cerca de R$ 105,55 milhões.

 

As receitas da Santa Sé em 2010 foram de 245,19 milhões de euros (R$ 554,57 milhões), enquanto as despesas foram de 235,34 milhões de euros (R$ 532,29 milhões), o que representa um lucro de 9,8 milhões de euros, segundo balanço apresentado hoje pelo cardeal Velasio de Paolis, presidente da Prefeitura de Assuntos Econômicos.

 

O balanço foi aprovado em reunião realizada nos dias 30 de junho e 1º de julho pelo Conselho de Cardeais para o estudo dos problemas administrativos e econômicos da Santa Sé, presido pelo cardeal secretário de Estado, Tarcisio Bertone.

 

Quanto aos resultados do Estado da Cidade do Vaticano, o cardeal De Paolis informou que as receitas foram de 255,89 milhões de euros, e as despesas chegaram a 234,84 milhões de euros, encerrando 2010 com lucro no valor de 21,04 milhões de euros.

 

Esses resultados se devem ao "bom ano" dos museus locais, que receberam maior número de visitas, "apesar da crise no setor turístico mundial", segundo nota oficial.

 

Entre os cardeais que participaram da reunião do conselho que aprovou o balanço financeiro estava dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo.

 

O Vaticano publica relatório financeiro desde 1981, quando o papa João Paulo II ordenou a divulgação como parte de seus esforços para acabar com a ideia de que o Vaticano é rico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.