Vaticano iniciará campanha mundial para moratória do aborto

Cardeal garante que a iniciativa não se dirige a nenhum país específico, mas começará na América Latina

EFE,

24 de janeiro de 2008 | 14h56

aticano iniciará na América Latina uma campanha mundial para promover o pedido de uma "moratória mundial" do aborto junto às Nações Unidas, explicou o presidente do Conselho Pontifício para a Família, Alfonso López Trujillo, em entrevista publicada nesta quarta pelo jornal La Repubblica.   O cardeal colombiano será o enviado do Vaticano para explicar a iniciativa aos líderes de cada país. A missão começará na América Latina para depois passar por América do Norte, África, Ásia e Europa.      A campanha pretende "conseguir levar um pedido de moratória ao aborto às Nações Unidas, como conseguiu no caso da pena de morte", acrescentou o cardeal.      López Trujillo explicou que a campanha sobre o aborto, que ainda não se sabe quando começará, é necessária, pois "existe muita confusão" sobre o assunto, principalmente entre os católicos.      O cardeal garante que a iniciativa não se dirige a nenhum país específico, mas pretende "chamar a atenção sobre um drama que toca as consciências de todos".      Ele garantiu que a Igreja "não quer causar polêmicas" e só pretende divulgar a doutrina católica.      "Começaremos na América Latina e encontraremos governos de todas as ideologias, também marxistas e socialistas, pois o aborto não é um problema italiano ou europeu, mas mundial e a Santa Sé quer eliminá-lo", explicou.      A viagem servirá também para mostrar a posição da Igreja Católica "sobre todos os aspectos relacionados à defesa da vida e também sobre a fecundação", acrescentou.      López Trujillo explicou que a Igreja Católica rejeita o aborto em caso de grande risco para a mãe. Nestes casos, "tem que se fazer o possível para salvar os dois", afirmou.      A proposta de uma campanha contra o aborto foi lançada pelo jornalista italiano e diretor do jornal Il Foglio, Giuliano Ferra, e o Vaticano imediatamente se mostrou disposto a promovê-la.

Tudo o que sabemos sobre:
abortocatolicismoigreja católica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.