Vaticano invalida casamento entre batizado e não batizado

Resolução foi aprovada pelo papa Bento XVI e faz parte das remodelações do Código de Direito Canônico

Efe,

15 Dezembro 2009 | 15h08

O casamento entre duas pessoas em que uma seja batizada na Igreja Católica e a outra não é inválido, afirmou nesta terça-feira, 15, o Vaticano, que informou que o papa Bento XVI aprovou duas remodelações do Código de Direito Canônico, sobre diáconos e o casamento. As remodelações fazem parte do documento Omnium in mentem, divulgado nesta terça-feira no Vaticano.

 

Veja também:

linkPapa diz que imprensa intoxica o homem 

linkPapa se diz 'indignado' sobre padres pedófilos na Irlanda 

 

Assim, o artigo 1986 do Código de Direito Canônico estabelece, a partir de agora, que "é inválido o casamento entre duas pessoas em que uma seja batizada na Igreja Católica ou nela amparada e a outra não".

 

Também fica modificado o artigo 1124, que passa a estabelecer que "o casamento entre duas pessoas batizadas em que uma seja batizada na Igreja Católica ou nela amparada após o batismo e a outra inscrita em uma Igreja ou comunidade eclesiástica que não está em plena comunhão com a Igreja Católica não pode ser realizado sem autorização expressa da autoridade competente".

 

Sobre os diáconos - homens, inclusive casados, dedicados ao serviço da Igreja - foram modificados os artigos 1008 e 1009, para especificar que eles não podem presidir as paróquias, logo, não poderão substituir o sacerdote ou o bispo.

 

Já o bispo e o sacerdote, segundo a modificação, recebem a missão e a faculdade de atuar em nome de Cristo, enquanto os diáconos "são capacitados para servir ao povo de Deus na diaconia da liturgia, da palavra e da caridade". Os diáconos não podem realizar a eucaristia.

Mais conteúdo sobre:
Vaticano casamento batismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.