Vaticano rejeita acusação de Parlamento irlandês sobre abusos

O Vaticano rejeitou neste sábado acusações feitas pelo Parlamento irlandês afirmando que a Igreja Católica tentou encobrir casos de abusos sexuais cometidos por padres e interferir nas leis de proteção à criança.

REUTERS

03 Setembro 2011 | 14h15

Em sua primeira resposta formal à repreensão feita pelo parlamento irlandês em julho, a Santa Sé disse que estava "arrependida e envergonhada" pelos abusos de crianças cometidos pelos padres, mas que as acusações de interferência do Vaticano na legislação da Irlanda eram "infundadas".

"Nessa questão, a Santa Sé quer deixar bem claro que de forma alguma interferiu ou tentou interferir em qualquer investigação dos casos de abuso sexual na Diocese de Cloyne", disse o Vaticano em comunicado.

"Além disso, em nenhum momento a Santa Sé tentou interferir na legislação civil irlandesa ou impedir a autoridade civil em seus compromissos", acrescentou o texto.

A resposta do Vaticano acontece após uma moção bastante rara aprovada pelo Parlamento irlandês em julho acusando a Igreja de "debilitar a estrutura de proteção à criança" por não denunciar casos de abuso sexual cometidos por padres na diocese de Cloyne, no distrito de Cork.

(Por James Mackenzie)

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAO PAPA IRLANDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.