Vaticano se diz aberto a acordo com tradicionalistas

O Vaticano disse na quarta-feira a uma dissidência tradicionalista que ela precisa atacar alguns princípios doutrinários inegociáveis antes de poder regressar plenamente ao seio da Igreja Católica Apostólica Romana.

REUTERS

14 Setembro 2011 | 17h23

Líderes da Sociedade de São Pio 10o (SSPX) mantiveram reuniões de várias horas com autoridades doutrinárias do Vaticano para discutir maneiras de concluir os dois anos de negociações com vistas à eventual reconciliação.

Em nota, o Vaticano disse ter informado ao líder da SSPX, o bispo suíço Bernard Fellay, que o grupo precisa aceitar os princípios estabelecidos num "preâmbulo doutrinário", como pré-requisito para a "ansiada reconciliação".

O Vaticano não divulgou o texto do preâmbulo entregue a Fellay, mas disse que ele inclui certos princípios doutrinários e diretrizes para a interpretação dos ensinamentos eclesiásticos para que a SSPX não caia em contradição fundamental com o Vaticano.

A SSPX desafiou Roma em 1988 ao sagrar quatro bispos, o que motivou a excomunhão deles. Num gesto de reconciliação, o papa Bento 16 já suspendeu aquelas penalidades e tem promovido a celebração de missas em latim, algo que a SSPX defende.

Mas ele até agora mantém a proibição aos bispos da SSPX para rejeitarem alguns ensinamentos do Concílio Vaticano Segundo (1962-1965), como sua histórica reconciliação com o judaísmo e outros credos, e os impede de assumirem cargos oficiais na hierarquia da Igreja.

(Por Philip Pullella)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.