Vaticano terá missa em memória de Galileu pela primeira vez

Arcebispo disse que 'a Igreja deseja honrar a figura de Galileu, genial e inovador e filho da Santa Sé'

Efe,

13 de fevereiro de 2009 | 15h49

Pela primeira vez em 400 anos, um alto representante do Vaticano oficiará no domingo, 15, em uma basílica de Roma, uma missa em memória do astrônomo Galileu Galilei, condenado pela inquisição e reabilitado pela Igreja 350 anos depois de sua morte.  Veja também: Vaticano marcará aniversário de observações de Galileu GalileiCientistas querem estudar DNA de Galileu para 'exame ocular' Inglês teria traçado mapa da Lua antes de Galileu Astrônomos querem 1 milhão de brasileiros olhando para o céu Unesco inaugura Ano Internacional da Astronomia nesta quinta  Se trata do arcebispo Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, que presidirá a eucaristia na basílica de Santa Maria dos Anjos, da capital italiana, segundo uma nota da Federação Mundial de Cientistas (WFS), divulgada nesta sexta-feira, 13, pelo Vaticano.  Foram chamados para o evento, segundo a WFS, diversos cientistas, entre eles um grupo de pesquisadores chineses, que doarão uma estátua em bronze de Galileu feita por um artista chinês.  Para marcar o Ano da Astronomia, convocado pelas Nações Unidas para comemorar os 400 anos das primeiras descobertas astronômicas, o Vaticano se uniu a diferentes iniciativas para ressaltar a figura de Galileu.  Entre outros, destaca-se um Congresso Internacional sobre o cientista que será realizado em Florença, de 26 a 30 de maio.  O Vaticano considera que após a reabilitação de Galileu por João Paulo II, em 1992, os tempo "estão maduros" para uma nova revisão de sua figura, "que a Igreja deseja honrar", segundo disse recentemente o arcebispo Ravasi. Segundo Ravasi, este ano da Astronomia representa para a Santa Sé uma importante ocasião de aprofundamento e diálogo sobre a astronomia e o astrônomo italiano. "Galileu foi o primeiro homem que olhou com um telescópio para o céu. Abriu para a humanidade um mundo até então pouco conhecido, ampliando os confins de nosso conhecimento e obrigando a reler o livro da natureza com outros olhos. A Igreja deseja honrar a figura de Galileu, genial e inovador e filho da Igreja."

Tudo o que sabemos sobre:
religiãoVaticanoGalileu Galilei

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.