Vazamento e reparo empurram reativação do LHC para 2009

Quando estiver operando em força total, o LHC será usado para recriar condições próximas às do Big Bang

Carlos Orsi, do estadao.com.br,

23 de setembro de 2008 | 15h05

O maior acelerador de partículas do mundo, o Grande Colisor de Hádrons (LHC), que foi ativado com sucesso em 10 de setembro, só voltará a funcionar no segundo trimestre de 2009, diz nota distribuída pela Organização Européia de Pesquisa Nuclear (Cern). A ativação do LHC no início deste mês foi celebrada por cientistas em todo o mundo como um grande sucesso, mas os trabalhos tiveram de ser interrompidos, 36 horas depois, para o conserto de um transformador.  E, na última semana, por causa de um vazamento de gás hélio, usado na refrigeração do equipamento.    Brasileiro explica o experimento na Suíça  Entenda o LHC Assista ao vivo o que acontece no laboratório  Experiência do LHC depende de rede mundial de computadores  Estudo reafirma que acelerador de partículas LHC é seguro  Cientistas criam rap para explicar o Grande Colisor de Hádrons  LHC não vai destruir a Terra, conclui relatório de segurança  Cientistas querem proibir simulação do 'Big Bang'   Site do Cern  Site do LHC Grid  Animação que explica como o LHC Grid funciona  Vídeo do Cern explica o LHC em três minutos (em inglês)   Galeria com imagens do LHC       A nota do Cern atribui o vazamento a um defeito na conexão elétrica entre dois dos magnetos do acelerador. Os técnicos concluíram que será necessário reaquecer a seção afetada - mantida em temperatura próxima ao zero absoluto - e em seguida desmontar os magnetos para uma inspeção. O procedimento todo levará, pelo menos, três semanas.    Somando esse prazo ao tempo estimado para a análise das peças e realização dos reparos que se fizerem necessários, a equipe do Cern concluiu que não será possível voltar a utilizar o LHC antes do fechamento do Cern para o período obrigatório de manutenção de inverno, estação que começa em dezembro no hemisfério norte. Tradicionalmente, o Cern fecha em meados de novembro e só volta a operar no fim de março ou início de abril.   Ao final do intervalo no inverno, os técnicos realizam o processo de reiniciar a "cadeia aceleradora", que prepara os feixes de prótons para serem disparados na máquina. Esse trabalho, diz o porta-voz do Cern, James Gillies, "é algo que temos um bocado de experiência em fazer, e não há motivo para que não corra rapidamente. Creio que a prioridade para a reabertura no ano que vem será conseguir feixes do LHC o quanto antes".   "Vindo imediatamente após um início de operações extremamente bem-sucedido, este é um golpe psicológico inegável", disse o diretor-geral do Cern,  Robert Aymar, na nota que anuncia os novos prazos.   Cientistas esperavam poder usar o LHC ainda por alguns meses em 2008 para realizar a calibragem do equipamento, preparando-o para iniciar, em 2009, os experimentos de colisão de partículas a velocidades de 99,99% da velocidade da luz.   Quando estiver operando em força total, o LHC será usado para recriar, por meio dessas colisões, condições semelhantes às que existiam uma fração de segundo após a origem do universo. Pesquisadores esperam que, assim, seja possível detectar na prática fenômenos físicos que hoje são apenas previstos em teoria, como a existência de dimensõees ocultas do espaço e da partícula responsável pela massa da matéria, o até agora hipotético bóson de Higgs.   (com Associated Press)

Tudo o que sabemos sobre:
lhccernbóson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.