Venda de gato clonado gera debate ético

O primeiro animal de estimação clonado sob encomenda a ser vendido nos EUA chama-se Little Nicky e é um gatinho de nove semanas, entregue a uma texana entristecida pela morte de um gato que manteve por 17 anos. Little Nicky custou US$ 50.000 à dona, e foi criado a partir do DNA de Nicky, que morreu ano passado. "Ele é idêntico. A personalidade é a mesma", diz a dona, Julie, que pediu para não ter o nome completo divulgado. Enquanto Little Nicky faz travessuras em casa, a criação e venda do gato trouxe novo fôlego ao debate sobre a ética da clonagem, uma técnica que avança rapidamente. A empresa que criou Little Nicky, Genetic Savings and Clone, diz que espera apresentar em maio o primeiro cão clonado - um mercado muito mais lucrativo que o de clones de gatos.Exceto pelo prospecto de uma clonagem humana, nenhum outro projeto causou tanto furor quanto a criação de Little Nicky e os planos comerciais da Genetic Savings and Clone. "É moralmente problemático e um pouco repreensível", disse David Magnus, co-diretor do Centro de Ética Biomédica da Universidade Stanford. "Por US$ 50.000, ela (Julie) poderia ter arrumado lares para um monte de vira-latas".

Agencia Estado,

23 de dezembro de 2004 | 16h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.