Viagra pode melhorar vida sexual de mulheres deprimidas

O Viagra, popular medicamento contra aimpotência masculina, pode melhorar também a vida sexual demulheres que tomam antidepressivos, segundo estudo divulgado naterça-feira nos EUA. Em um estudo publicado na revista da Associação MédicaAmericana, mulheres que usavam Viagra sofriam menos efeitoscolaterais dos antidepressivos sobre a atividade sexual do queaquelas que receberam um placebo. Muitas vezes, as disfunçõessexuais levam as pessoas a abandonarem os tratamentos comantidepressivos. O estudo, dirigido por George Nurnberg, da Universidade doNovo México, foi patrocinado pelo laboratório Pfizer,fabricante do Viagra (cujo nome genérico é sildenafil).Nurnberg é consultor pago pela empresa. Os antidepressivos mais usados, como os inibidores derecaptação de serotonina, podem provocar disfunções sexuais. Os pesquisadores estudaram 98 mulheres com idade média de37 anos que relatavam dificuldades para atingir o orgasmo ouperda da libido. Todas haviam tido depressão e estavam sobtratamento com medicamentos. As mulheres foram orientadas a tomar um comprimido (Viagraou placebo) de uma a duas horas antes do momento previsto parao relacionamento sexual, durante oito semanas. Enquanto 73 por cento das pacientes com o placebo nãorelataram melhora, só 28 por cento das usuárias do sildenafildeixaram de notar benefícios. Medicamentos semelhantes, como o Cialis (laboratório EliLilly, nome genérico tadalafil) ou Levitra (vardenafil, daGlaxoSmithKline, Bayer e Schering-Plough) agem de forma similarao Viagra. "Essas descobertas são importantes não só porque asmulheres sofrem graves distúrbios depressivos com umaincidência de quase o dobro dos homens, e porque sofrem maisdisfunções sexuais resultantes disso do que os homens, mastambém porque estabelece que [medicamentos como o sildenafil]são eficazes em ambos os sexos para este propósito", escreveramos pesquisadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.