Vietnamita cria endoscópio barato com peças de PC

Um médico de uma área rural no delta do Rio Mekong, no Vietnã, usou seu computador pessoal e algumas peças baratas para criar um endoscópio.Nguyen Phuoc Huy passou dois anos desenvolvendo o aparelho, usado para fazer exames com imagens no estômago e outros órgãos internos sem a necessidade de cirurgia.Huy afirmou que o hospital em que ele trabalha, que fica numa área muito pobre, jamais poderia pagar os cerca de US$ 30 mil (cerca de R$ 73,5 mil) necessários para a compra do aparelho.O sistema de saúde do Vietnã sofre com a falta de endoscópios, geralmente há apenas um para cada província do país.Baixo custoA endoscopia é um exame que evita procedimentos cirúrgicos. Para a avaliação, um pequeno tubo com uma câmera é inserido no corpo do paciente, o que permite que os médicos avaliem a situação."O adaptador custa quase nada, é simplesmente um sistema de lentes ligado a uma webcam, custando apenas US$ 30 (cerca de R$ 73). No total, tive que comprar apenas o tubo, que custou cerca de US$ 800 (R$ 1,9 mil)?, disse o médico."O que é necessário é um computador com processador Pentium 4 e uma impressora colorida. Usando o sistema Windows temos programas para gravar as imagens e colocar em um banco de dados dos pacientes. E agora posso construir um sistema completo para endoscopia em apenas uma semana", acrescentou.Até o momento, Huy construiu um endoscópio para ele e outros dois para colegas.Conhecimento tecnológicoNguyen Phouc Huy começou a carreira como médico local. Ele sabia muito sobre sua profissão, mas não era um especialista em tecnologia.Ele teve que aprender sozinho o básico em computação, ótica e matemática."No começo eu tive problemas para instalar novos programas em meu computador e muitas vezes tive que pedir ajuda para algum professor de tecnologia que morasse perto de minha casa", disse."Também consegui orientações com professores de física a respeito de ótica. Assim pude desenvolver todo o aparato ótico e as lentes do meu endoscópio. Até tive que consultar de novo meus livros de física que usei quando estudava no ensino secundário, revisar matemática", afirmou.Huy deve construir outros aparelhos como este para outros hospitais pobres no Vietnã e mesmo para centros médicos em outros países. Mas o médico afirma que as pessoas ainda não sabem muito sobre seu produto.Por isso, o próximo passo de Huy, depois de aprender sobre tecnologia, é aprender técnicas de marketing, para fazer a propaganda de seu endoscópio.

Agencia Estado,

22 de agosto de 2005 | 10h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.