Vigília pelos 40 anos da morte de Padre Pio reúne 10 mil

Durante as celebrações, o secretário de Estado do Vaticano anunciou para 2009 visita do papa ao túmulo

Ansa,

23 de setembro de 2008 | 13h38

Mais de 10 mil fiéis participaram da vigília de orações para celebrar os 40 anos da morte de Padre Pio, que em 2002 foi canonizado por João Paulo II, e os 90 anos do aparecimento de seus estigmas - sinais que aparecem no corpo nos mesmos locais em que Cristo foi ferido durante a crucificação.  Entre os presentes, encontravam-se diversos grupos de orações e muitos estrangeiros. A vigília teve início às 18h locais de segunda-feira, 22, e terminou às 2h30 da madrugada, hora da morte de Padre Pio, no dia 23 de setembro de 1968. Durante a vigília, o ministro geral da ordem dos monges capuchinhos, frade Mauro Johri, desceu à cripta do santuário de Santa Maria da Graça para espalhar incenso em torno da tumba do santo. Às 11h locais desta terça, a festa litúrgica culminou com a celebração eucarística presidida pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, que anunciou uma visita do papa Bento XVI a San Giovanni Rotondo em 2009, em homenagem ao Padre Pio. A celebração terminou com uma procissão com a imagem do santo pelas ruas da cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
padre piobento xvicatolicismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.