Vilarejo quer se iluminar com megaespelho solar

Um vilarejo no norte da Itália quer usar um espelho gigante para refletir a luz do sol e iluminar a cidade nos meses de inverno.A pequena cidade de Viganella, com 185 habitantes, foi construída no fundo de um vale alpino muito íngreme, perto da fronteira com a Suíça.O lado sul do vale é tão escarpado que no dia 11 de novembro o sol desaparece e não vai reaparecer até o dia 2 de fevereiro, os meses de inverno no Hemisfério Norte. "É como a Sibéria", afirma uma das moradoras do vilarejo.O reflexo do espelho gigante atingiria o centro do vilarejo, em uma praça que os moradores chamam de "il cuore di Viganella", o coração de Viganella.As inclinações viradas para o sul, que ficam no norte do vale onde está Viganella, conseguem receber raios solares, a algumas centenas de metros acima do nível onde está o vilarejo.A idéia do prefeito do vilarejo, Pierfranco Midale, é montar um espelho gigante na montanha para refletir a luz do sol para a praça central da cidade. O prefeito até já contratou um arquiteto para desenvolver o projeto.Giacomo Bonzani mostrou os resultados das experiências que fez em seu quintal e afirma que um espelho com motor, e que tenha cerca de cinco metros de largura, pode captar os raios solares e refletir os raios na praça."Em um dia claro, isto iria produzir cinco horas de luz solar na praça, até mesmo no meio do mês de dezembro. Na teoria, pode estar nevando no vilarejo, mas enquanto o sol estiver num nível mais alto do vale, a praça de Viganella pode ter neve e sol ao mesmo tempo", disse.O único problema é a verba. O governo da região não vai arcar com a conta de 100 mil euros (cerca de R$ 261 mil) para a construção do espelho. Então, por enquanto, o sol de inverno em Viganella permanece no projeto.

Agencia Estado,

07 de novembro de 2005 | 22h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.