Virgin quer aviões voando com etanol de biomassa

O dono do Grupo Virgin, Richard Branson, planeja usar biomassa como combustível verde para abastecer a frota de aviões da Virgin Atlantic Airways, a segunda maior companhia aérea da Grã-Bretanha em vôos de longa distância.?Estamos procurando fontes alternativas de combustível. Vamos implantar uma fábrica para produzir etanol celulósico a partir de restos vegetais?, disse Branson nos Emirados Árabes Unidos, onde ele se encontra em viagem de negócios.Dizendo-se cansado da escalada nos preços da gasolina de aviação, ele disse que o uso do etanol seria uma forma de a Virgin reduzir seus gastos com combustível. Branson não disse onde as fábricas serão instaladas ou quão economicamente viável será o etanol celulósico. ?Estamos no início?, admitiu.?O etanol celulósico é 100% inofensivo ao meio ambiente e acredito ser o futuro do combustível, e nos próximos 20 a 30 anos penso que substituirá as fontes convencionais extraídas do subsolo?, contou Branson.Segundo o empresário, o etanol celulósico é um derivado obtido dos resíduos de plantas, os restos que ficam no campo depois da colheita das lavouras e são queimados.A Virgin Atlantic é a segunda maior companhia aérea da Grã-Bretanha em vôos de longa distância e pertence ao Grupo Virgin, que possui negócios também nas áreas de trens, serviços financeiros, bebidas, música, operação de telefones celulares e carros, com receita anual superior a US$ 7 bilhões.Além de possuir 51% de participação na Atlantic, o Grupo Virgin também detém ações na Virgin Cargo, Virgin Nigeria e Virgin Blue, da Austrália, com uma frota de quase 100 aeronaves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.