Vírus da gripe aviária achado na Romênia é o mais mortal

O foco de gripe aviária encontrado na Romênia é do tipo H5N1, o mais patógeno (capaz de produzir doenças) e mortal, que matou mais de 60 pessoas desde a sua aparição na Ásia, em 2003, informou hoje o ministro de Agricultura romeno, Gheorghe Flutur, que recebeu a informação por telefone do laboratório Weybridge, do Reino Unido, o qual analisou a amostra enviada ontem da Romênia."Confirmaram há uma hora que se trata do H5N1", disse Flutur em declarações à imprensa. De acordo com ele, o laboratório Weybridge, autorizado para estudar casos de gripe aviária, ainda vai estabelecer o grau patógeno do vírus.Medidas imediatasO ministro afirmou que reuniu em caráter de urgência o comitê de crise dirigido por ele para estabelecer as medidas imediatas que serão tomadas tanto para a determinar extensão do foco quanto para prevenir a infecção de seres humanos."A população não deve entrar em pânico", disse o ministro, que advertiu que as pessoas devem respeitar as indicações das autoridades, se vacinar contra a gripe comum, respeitar as regras de higiene, preparar a carne de ave a mais de 70 graus e não comer a que não for controlada. Flutur disse que uma das primeiras medidas será isolar toda a província de Dobruja, no sudeste da Romênia, onde fica o delta do rio Danúbio.Infecção em seres humanosVlad Iliescu, secretário de estado no Ministério da Saúde, informou que por enquanto não há "nem sequer um mínimo indício de infecção nos seres humanos". Ele também garantiu que todas as pessoas da categoria de grande risco estão sendo permanentemente controladas.Segundo ele, a equipe que manipulou as aves doentes e a população do delta já foram vacinadas e foram disponibilizados milhares de doses de antivirais importados."Agimos respeitando exatamente as recomendações da Organização Mundial da Saúde" (OMS), disse Iliescu, que acrescentou que na próxima segunda-feira é esperada a chegada a Bucareste de especialistas da OMS para determinar junto com as autoridades romenas uma estratégia de preservação da saúde dos seres humanos.Confirmação do vírusA presença do vírus H5N1 foi confirmada em duas amostras de aves mortas em Ceamurlia de Jos, onde desde a noite de ontem todas as aves, de um total de quase 45 mil, estão sendo sacrificadas. O laboratório do Instituto de Diagnoses e Saúde Animal também detectou ontem o vírus H5 em duas aves de Maliuc, a cerca de 100 quilômetros de Ceamurlia de Jos, com o que é confirmada a extensão da doença além do que se suspeitava. No entanto, ainda não se sabe as se aves de Maliuc morreram por causa da variante N1, que também foi detectada na Turquia. Na noite de ontem, foi decretada uma quarentena e começou o sacrifício das aves em Maliuc.Uma das causas apontadas pelos especialistas romenos e pelos epidemiologistas europeus que analisaram a situação no delta é o costume da população local de criar milhares de aves parcialmente livres, soltas nos canais e nos lagos, onde entram em contato com as aves migratórias. Milhões de aves migratórias passam o inverno no delta do Danúbio e centenas de milhares vêm da Ásia e da Rússia.

Agencia Estado,

15 de outubro de 2005 | 12h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.