Vírus da gripe aviária inverte o sistema de defesa do corpo

Cientistas de Hong Kong afirmam que o vírus da gripe aviária, H5N1, leva o sistema imunológico do paciente a jogar contra o próprio corpo. O estudo, a ser publicado na revista médica Respiratory Research, indica que o H5N1, quando infecta as células pulmonares, provoca uma reação exagerada das citoquinas, mensageiros moleculares que dizem com que intensidade as células de defesa devem atacar o micróbio.Uma resposta descompassada como esta é chamada de "tempestade de citoquinas" e pode ser fatal. "Esta hiperindução das citoquinas pode ser relevante para a origem da doença" provocada pelo vírus, escrevem os autores.Para o especialista em doenças infecciosas Michael Osterholm, da Universidade de Minnesota (EUA), o dado indica que a gripe pode ser especialmente severa. "Ele se parece cada vez mais com o H1N1 de 1918", diz, em referência à "gripe espanhola" que matou mais de 40 mil pessoas no mundo.O H5N1 matou, até o momento, 64 pessoas na Ásia, aproximadamente metade dos humanos infectados. Mais de 150 milhões de aves já foram sacrificadas em países asiáticos e do Leste Europeu.Hoje, o Ministério da Saúde da Tailândia confirmou que um bebê de um ano e meio foi infectado. O diretor-geral do Departamento de Controle de Doenças Infecciosas, Thawat Suntarajarn, disse que os sintomas não são severos e a criança, que mora nas proximidades da capital, Bangcoc, está sob tratamento. É o 12º caso tailandês.AvançoUm flamingo é o primeiro portador da gripe aviária do Golfo Pérsico, anunciou o governo do país ontem. A ave foi sacrificada.A espécie é migratória, o que confirma a suspeita de que a doença pode se espalhar pelo Oriente Médio, África e Europa Oriental por meio dos animais.O vírus não é transmissível entre pessoas, apenas entre aves e delas para o homem. Mas há uma chance de ele mudar e provocar uma pandemia. Tal incerteza, somada a sua fácil e rápida difusão e sua virulência, tem alimentado um mercado baseado em expectativas.Uma empresa de Cingapura afirma ter criado um teste de detecção do H5N1 em dez minutos, que custa entre US$ 10 e US$ 12. Na China, uma companhia lançará um seguro de vida especificamente para a gripe aviária. Segundo o jornal China Daily, a empresa Minsheng Life Insurance recebeu autorização da comissão reguladora de seguros do governo. O serviço deve pagar um prêmio máximo de 100 mil yuans (cerca de R$ 27,3 mil). O valor da apólice é menor para habitantes de zonas rurais.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

11 de novembro de 2005 | 21h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.