Vírus H5N1 aparece em península da Ucrânia

Especialistas russos detectaram o vírus da gripe aviária H5N1, que pode ser letal para o homem, nas aves de criação que morreram na semana passada, na península ucraniana da Criméia, no Mar Negro.O subdiretor do instituto estatal de biotecnologia, Viacheslav German, disse que os resultados são preliminares, obtidos no laboratório de Vladimir, a 200 quilômetros de Moscou, para onde foram enviadas as amostras de sangue das aves mortas em várias fazendas em três aldeias da Criméia. O Ministério de Política Agrícola confirmou nesta quinta-feira outros dois novos casos de gripe aviária em granjas na Criméia, elevando para oito o número de focos nesta zona do país, que faz divisa com a Romênia, o país europeu mais atingido pela epidemia.A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que enviará um grupo de especialistas à Criméia. Mais de 30 mil aves foram sacrificadas desde sábado na península, parada obrigatória para as aves migratórias em sua viagem ao Mediterrâneo e ao norte da África para passar o inverno.O presidente da Ucrânia, Viktor Yushchenko, decretou no sábado o estado de emergência nas localidades da Criméia onde tinham sido detectados casos de gripe aviária. Aparentemente, os primeiros casos de morte em massa de aves foram registrados em 10 de outubro, mas as autoridades sanitárias ucranianas não informaram publicamente sobre o assunto.Por esta razão, Yushchenko destituiu na segunda-feira o chefe do Serviço Veterinário do país, Petro Verbitski. Para prevenir a propagação da epidemia, as vizinhas Rússia e Belarus proibiram a importação de carne de frango procedente da Ucrânia.H5N2 na ÁfricaO Zimbábue suspendeu temporariamente a exportação de avestruzes e aves de granja por causa do foco de gripe aviária encontrado em duas fazendas da província de Matabeleland, no sul do país, segundo o jornal The Herald.Amostras enviadas à África do Sul confirmaram que a infecção foi causada pelo vírus tipo H5N2, portanto, não está relacionado com os focos detectados na Europa e no sul da África. O H5N2 é o mesmo tipo de vírus detectado em julho de 2004 no sul da África do Sul, o que levou o país a suspender suas exportações de derivados de avestruz em agosto de 2004.Todas as granjas do Zimbábue foram colocadas em quarentena, segundo declarações do diretor dos serviços veterinários, Stuart Hargreaves, ao The Herald.Após os testes, foram registrados resultados positivos somente nas duas fazendas de avestruzes afetadas; os testes no resto das granjas deram resultados negativos, de acordo com o relatório.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

08 de dezembro de 2005 | 16h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.