Vírus humanos ameaçam chimpanzés em risco de extinção

Amostras de tecido retiradas dos macacos mortos em epidemias testaram positivo para dois vírus humanos

25 de janeiro de 2008 | 16h34

Vírus comuns em seres humanos são responsáveis por epidemias de doenças respiratórias que levaram a uma queda na população de chimpanzés ameaçados de extinção, diz um estudo publicado na edição online da revista especializada Current Biology. A descoberta traz a primeira evidência direta da transmissão de um vírus humano para um grande primata.   Segundo os autores do trabalho, a descoberta pode vir a requerer novas estratégias para a pesquisa científica e o ecoturismo.   "Pesquisa e turismo têm um efeito grande na sobrevivência dos grandes primatas, uma vez que reduz a caça ilegal nessas áreas e dá maior peso político a esses locais", disse o pesquisador alemão Fabian Leendertz.   No novo estudo, os pesquisadores reuniram evidências de chimpanzés atingidos por cinco diferentes epidemias respiratórias entre 1999 e 2006 na Costa do Marfim. As epidemias atingiram praticamente todos os macacos e causaram um grande número de mortes.   Todas as amostras de tecido retiradas dos macacos mortos testaram positivo para dois vírus humanos, HRSV e HMPV. Em humanos, esses vírus podem causar resfriados ou pneumonia.   Os autores do trabalho sugerem medidas para minimizar o risco de contaminação dos chimpanzés. A equipe responsável pelo estudo adotou o uso de máscaras e a desinfecção freqüente das botas.

Tudo o que sabemos sobre:
chimpanzévírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.