Vírus mata 6 mil pássaros migratórios na China

O número de pássaros migratórios mortos na província noroeste chinesa de Qinghai pelo vírus da gripe aviária já chega a 6 mil, segundo cálculos do Ministério da Agricultura divulgados nesta sexta-feira pela imprensa local.Nenhuma ave domesticada foi infectada pelo H5N1, que também não foi detectado entre a população humana da província, garantiu Jia Youling, diretor-geral do Escritório Veterinária do ministério."A China realiza testes para descobrir a potência do vírus. Informaremos dos resultados as organizações internacionais", acrescentou Jia.Na terça-feira, a Organização Mundial da Saúde (OMS) calculou em 5 mil os pássaros mortos pela gripe avícola em Qinghai, onde se detectou o surto entre as aves migratórias que passam o verão na reserva natural da província.Segundo Roy Wadia, porta-voz da OMS na China, "cerca de 20 aves estão morrendo diariamente" em Qinghai e, com isso, não parece possível que o número de vítimas tenha aumentado em mil desde terça-feira.Migração do vírusAves de cinco espécies morreram até terça-feira. São aves migratórias que, a cada ano, viajam ao lago de Qinghai para passar o verão e se refugiar do calor de seus lugares de origem: no Sul da China, Índia, Paquistão, Tailândia, Camboja, Vietnã e outros países vizinhos.A OMS considerou imprescindível investigar as rotas migratórias destas aves, do que se sabe pouco, e tentar isolar o surto antes que os pássaros levem o vírus mortal a outras partes da China ou da região."Estes pássaros são livres e selvagens, e é muito difícil controlar suas rotas migratórias ou saber com que outras aves eles entraram em contato pelo caminho", explicou Wadia, para quem também não se sabe com certeza quais foram as aves que trouxeram o vírus.A OMS se mostrou em geral satisfeita com as medidas adotadas pelas autoridades de Qinghai, que exterminaram 20 mil frangos em 20 quilômetros em torno da reserva natural e vacinaram entre 2 milhões e 3 milhões de animais, todos da província.

Agencia Estado,

01 de julho de 2005 | 12h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.