Ecohealth Alliance / Nature
Ecohealth Alliance / Nature

Vírus que dizimou porcos na China teve origem em morcegos, diz estudo

Em 2017, infecção causou diarreia e vômitos em suínos filhotes, matando mais de 25 mil; novo vírus não causa doenças em humanos, mas pode provocar prejuízo econômico de grandes proporções, dizem cientistas

Fábio de Castro, O Estado de S.Paulo

04 Abril 2018 | 16h18

Um grupo de cientistas identificou a origem de um novo vírus que matou mais de 25 mil filhotes de porcos na China no ano passado. Surgiu em morcegos o vírus cuja infecção desencadeia a Síndrome da Diarreia Aguda Suína (Sads, na sigla em inglês). A doença provoca diarreia e vômitos nos porquinhos, levando-os à morte. 

De acordo com os autores da pesquisa, publicada nesta quarta-feira, 4, na revista Nature, embora o novo vírus aparentemente não tenha capacidade para infectar humanos, ele pode causar prejuízos econômicos de grandes proporções. 

O novo estudo, segundo os autores, mostra a importância de um monitoramento preventivo de infecções virais em morcegos. Esse mamíferos voadores também estavam envolvidos na origem do vírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), que, em 2003, matou mais de 700 pessoas em todo o mundo. 

"Nossa descoberta é um importante lembrete de que identificar novos vírus em animais e determinar rapidamente seu potencial para infectar pessoas é uma tarefa crucial para reduzir as ameaças globais à saúde humana", escreveram os pesquisadores. O estudo foi realizado por cientistas da Universide de Duke (Estados Unidos), da organização EcoHealth Alliance, do Instituto de Virologia Wuhan (China) e financiada pelos Institutos Nacionais de Saúde (Estados Unidos).

Segundo os autores, o novo estudo também indica que a China, como já se previa, é um foco importante de novas doenças emergentes. A pesquisa identificou casos de Sads em quatro fazendas de porcos na província chinesa de Guangdong. De acordo com eles, o genoma do vírus suíno é 98% idêntico ao de um vírus que foi isolado em morcegos, em 2016, em uma caverna próxima à fazenda de porcos onde o surto teve origem no ano passado.

O surto que causava a morte de filhotes de porcos foi identificado em outubro de 2016, em uma fazenda perto de Foshan, na província de Guandong, na China. Inicialmente, os cientistas pensaram se tratar do vírus da Diarreia Epidêmica Suína (PED, na sigla em inglês), um tipo comum de vírus que já havia sido identificado naquela mesma fazenda.

Mas, em meados de janeiro de 2017, os cientistas detectaram que o vírus da PED havia parado de circular no local e os porquinhos continuavam a ser dizimados, sugerindo uma causa diferente para as mortes. De acordo com o estudo, quando os filhotes doentes foram separados do resto dos animais, o surto cessou, em maio de 2017.

Depois de isolar o vírus a partir de amostras dos pequenos intestinos dos filhotes de porcos infectados, os pesquisadores sequenciaram seu genoma e constataram que ele era muito semelhante ao vírus que havia sido descoberto em 2007. Eles foram então buscar evidências do novo vírus em espécimes de morcegos coletados entre 2013 e 2016 na mesma província. O novo vírus apareceu em 71 de 596 espécimes estudados, quase 12% do total.

Os pesquisadores também realizaram testes em 35 trabalhadores das fazendas onde havia porcos infectados com Sads e que tinha contato direto com os animais doentes. Nenhum deles apresentou teste positivo para o vírus Sads.

Mais conteúdo sobre:
vírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.