Giorgio Benvenuti /Reuters
Giorgio Benvenuti /Reuters

Vítimas de abuso sexual pedem que TPI investigue Bento XVI

Grupo apresentou queixa alegando que autoridades do Vaticano toleraram e ocultaram abusos

REUTERS

13 Setembro 2011 | 10h02

AMSTERDà- Um grupo representando vítimas de abuso sexual está acusando o papa Bento XVI e três altas autoridades do Vaticano de crimes contra a humanidade, em uma declaração formal apresentada ao Tribunal Penal Internacional (TPI).

O tribunal não tem jurisdição sobre o Vaticano.

Uma entidade de pessoas que sofreram abusos de padres e o grupo de defesa dos direitos humanos Centro para os Direitos Constitucionais afirmaram nesta terça-feira ter apresentado uma queixa ao TPI, alegando que autoridades do Vaticano toleraram e permitiram o ocultamento sistemático e generalizado de crimes sexuais e estupros de crianças.

Um porta-voz da Santa Sé disse que não seriam divulgadas de imediato declarações sobre o assunto. O gabinete da procuradoria do tribunal não estava disponível para comentários.

O tribunal, com sede em Haia, é a primeira corte mundial permanente para julgar crimes de guerra.

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAO PAPA ABUSOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.