Vulcão gigante virou Marte de cabeça para baixo há 3 bi de anos

Estrutura dez mil vezes maior que o maior vulcão da Terra mudou rios e calotas polares de lugar

O Estado de S.Paulo

03 Março 2016 | 19h06

Há mais de 3 bilhões de anos, a superfície de Marte deslizou sobre seu núcleo, mudando rios e calotas polares de lugar, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira, 2, pela revista Nature

"Se tivesse acontecido essa mudança na Terra, Paris ficaria no círculo Polar", explicou Sylvain Bouley, especialista em relevo dos planetas, da Universidade Paris-Sul e autor do informe.

"Veríamos auroras boreais na França e faríamos vinho no norte da África", acrescentou.

O responsável por esta importante mudança de 20 a 25 graus é o cone vulcânico de Tharsis, um gigante mais de dez mil vezes maior que o maior vulcão da Terra (e isso porque Marte é oito vezes menos volumoso que nosso planeta).

De acordo com o estudo, por sua massa fora do comum, o vulcão provocou a rotação das camadas superficiais de Marte - sua crosta e seu manto - em torno do núcleo.

"Foi um fenômeno que durou dezenas de milhões de anos", destaca o pesquisador.

Segundo os pesquisadores, a conclusão oferece uma resposta única a alguns mistérios do Planeta Vermelho.

"Não conseguíamos entender por que os rios estão onde estão atualmente", disse Sylvain Bouley. "Dão a impressão de estar distribuídos de maneira aleatória, mas se a superfície é empurrada, ficam todos na mesma banda tropical".

Os cientistas se interrogavam sobre a posição de alguns reservatórios subterrâneos de gelo que se situam longe dos polos do planeta. A existência do gigantesco vulcão parece ter apontado uma resposta./AFP

Mais conteúdo sobre:
MarteTerraParisFrançaÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.