Wikipedia se recusa a eliminar imagens de Maomé

Petição com dezenas de milhares de assinaturas protesta contra as ilustrações de verbete

EFE,

15 de fevereiro de 2008 | 14h32

A enciclopédia online Wikipedia, que é atualizada e corrigida diariamente por milhares de internautas de todo o mundo, recusou-se a retirar imagens do profeta Maomé que acompanham o verbete sobre o fundador do islamismo, a despeito de uma petição assinada por 180.000 pessoas.   Veja também: Dinamarca sofre ataques após republicação de charges   "Por respeito à religião, retirem as imagens de Maomé", disse uma das mensagens que chegaram à Wikipedia por meio de uma página de abaixo-assinado montada online no The Petition Site.   A campanha conseguiu reunir mais de 179.000 assinaturas e o número cresce a cada minuto, mas não conseguiu seu objetivo. Várias versões da Wikipedia, incluindo as em inglês, espanhol e português, trazem reproduções de obras de arte que retratam ou representam o profeta.   Essas imagens não são caricaturas, como as publicadas na Dinamarca e que deram origem a ondas de protestos.   Embora o Alcorão não proíba a exibição da imagem de Maomé, a interdição consta do Hadith, coletâneas de tradições atribuídas ao profeta. A Fundação Wikipedia, baseada em San Francisco (EUA) decidiu manter as imagens, mas há a possibilidade de usuários bloquearem a exibição das figuras em seus computadores.   A maioria dos protestos contra as imagens vem do Paquistão. A Wikipedia argumenta que busca tratar todos os temas de modo neutro, e que "não pratica censura em benefício de um grupo em particular".

Tudo o que sabemos sobre:
islãwikipediamaomé

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.