Zoológico de Curitiba tenta reprodução do papagaio-de-cara-roxa

O Zoológico Municipal de Curitiba será o primeiro no País a tentar a reprodução em cativeiro do papagaio-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis), espécie em extinção só existente no litoral do Paraná e sul de São Paulo, com uma população estimada atualmente em 4 mil indivíduos. A obra para a construção de sete recintos exclusivos para a reprodução da espécie, em uma área de isolamento (fora de exposição) do zoológico, começou hoje e deve estar pronta em dois meses.Segundo Ana Silvia Miranda Passerino, diretora do Zoológico Municipal, seis recintos serão utilizados para abrigar os seis casais de papagaios-de-cara-roxa do zôo e um ficará à disposição para abrigar os filhotes que nascerem. Atualmente, os casais estão em um recinto coletivo, o que não favorece a reprodução, já que a espécie é monogâmica. ?Temos experiência com reprodução de outras espécies de psitacídeos mostrando que a separação por casais aumenta as chances de reprodução?, explica.Os papagaios-de-cara-roxa do Zoológico vieram de apreensões e, alguns deles, de doações, que atualmente não são mais aceitas. Além dos seis casais em área isolada, há mais um casal em exposição no Passeio Público da cidade. A maioria chegou ainda filhote, sem possibilidade de retornar ao habitat natural. Os novos recintos serão construídos através de uma parceria com a organização não-governamental Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), que desde 1998 desenvolve projeto de conservação da espécie e está financiando a obra, orçada em R$ 18 mil. Ao Zoológico caberá a acomodação e tratamento dos papagaios, que estarão sob a supervisão do ornitólogo Pedro Scherer, chefe de aves do Passeio Público. Segundo Ana Silvia, além de poder receber novos animais apreendidos, a intenção é tentar, a partir da reprodução, reintroduzir alguns espécimes no ambiental natural, bem como fazer a manutenção do banco genético com a troca por exemplares de outras instituições credenciadas pelo Ibama no País. ?É uma maneira de evitar a consangüinidade e melhorar a qualidade genética dos papagaios-de-cara-roxa?, diz. No futuro, a diretora do Zoológico espera iniciar também a reprodução do papagaio-de-peito-roxo, outra espécie endêmica da região ameaçada de extinção.

Agencia Estado,

14 de abril de 2003 | 15h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.