Martin BERNETTI / AFP
Martin BERNETTI / AFP

Observatório transmite eclipse solar total nesta terça; acompanhe

Um dos melhores locais para ver o fenômeno é La Serena, Chile, onde há 17 observatórios astronômicos

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2019 | 16h00
Atualizado 03 de julho de 2019 | 14h15

O único eclipse total do Sol de 2019 ocorre nesta terça-feira, 2, e poderá ser visto em sua totalidade só de uma estreita faixa que cruza o Chile e a Argentina. Um dos melhores locais para ver o fenômeno é La Serena, Chile, onde há 17 observatórios astronômicos. A agência espacial americana (Nasa) e o Observatório Europeu do Sul (ESO) vão fazer a transmissão do fenômeno ao vivo. Acompanhe:  

Por quase dois minutos, a Lua vai bloquear completamente os raios do Sol. O dia vai se transformar em noite e só será possível ver a coroa solar. A fase parcial do eclipse começa a ser observada às 15h23 e a total, às 16h39 (no horário de Brasília, será às 16h23 e 17h39 respectivamente)

Visibilidade do eclipse solar no Brasil

No Brasil só será possível observar o eclipse solar de forma parcial em alguns Estados, a partir das 16h48, horário de Brasília.

Segundo o Observatório Nacional, Porto Alegre (RS) terá a melhor visibilidade do fenômeno (75% - início 16h48). Florianópolis (60% - início às 16h53), Curitiba (55% - início às 16h55), Campo Grande (46% - início às 16h56), São Paulo (46% - início às 17h) e Rio de Janeiro (40% - início às 17h03).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.