Fapesp prepara escolha de novo diretor científico

Fapesp prepara escolha de novo diretor científico

Conselho Superior da fundação fará uma lista tríplice, para ser entregue ao governador. Expectativa é que o físico Carlos Henrique de Brito Cruz seja reconduzido ao cargo, para um quinto mandato de três anos

Herton Escobar

21 Março 2017 | 16h28

O Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) deve definir amanhã, em sua reunião mensal, a lista tríplice de indicados para o próximo mandato de diretor científico da instituição. A expectativa é que o físico Carlos Henrique de Brito Cruz seja reconduzido ao cargo pela quarta vez, segundo fontes ouvidas pela reportagem.

A seleção ocorre num momento turbulento da ciência paulista, após o corte de R$ 120 milhões no orçamento da Fapesp, que estremeceu a relação do Palácio dos Bandeirantes com a comunidade científica. O governo já se comprometeu a recompor o orçamento, com o entendimento de que o dinheiro será destinado exclusivamente aos institutos de pesquisa da administração pública — algo que muitos na comunidade científica vêem como uma interferência política na autonomia da Fapesp. Entre os desafios do novo diretor científico estará, justamente, supervisionar a destinação e execução desses recursos.

O Conselho Superior, órgão máximo da fundação, é formado por 12 membros. Seis são indicados diretamente pelo governador; outros seis são escolhidos por ele com base em listas tríplices formuladas pelas instituições de ensino e pesquisa do Estado. A composição atual, copiada ao final deste texto, inclui três ex-reitores da Universidade de São Paulo (USP), um ex-reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), um ex-reitor da Universidade Estadual Paulista (Unesp), e outros acadêmicos, além de dois representantes do setor empresarial e de inovação.

As pautas das reuniões não são divulgadas publicamente, mas a expectativa é que a lista tríplice para diretor científico seja definida amanhã, segundo fontes próximas ao conselho.


Qualquer pessoa pode ser indicada para o cargo, que é um dos mais importantes da ciência paulista. A decisão final caberá ao governador Geraldo Alckmin. Via de regra, o primeiro nome da lista é o escolhido; mas podem haver surpresas. Na eleição para reitor da USP de 2009, por exemplo, o então governador José Serra escolheu para o cargo o diretor da Faculdade de Direito, José Grandino Rodas, que era o segundo nome da lista — em vez do mais votado no processo eleitoral interno da universidade, que foi o biofísico Glaucius Oliva, do Instituto de Física de São Carlos.

Brito Cruz está na diretoria científica da Fapesp desde abril de 2005 (quatro mandatos consecutivos de três anos) e é uma figura muito respeitada na comunidade científica e acadêmica. Já foi presidente da Fapesp (1996-2002) e reitor da Unicamp (2002-2005). Seu mandato atual termina em 25 de abril.

O diretor científico é o principal interlocutor da Fapesp com a sociedade, influenciando na definição de prioridades, na criação de programas e no direcionamento dos investimentos em pesquisa da fundação de uma forma geral.

Expectativas. “O que a comunidade científica espera é que o diretor científico seja um acadêmico de destaque, um pesquisador que entenda a academia, que faça parte dela, publique bons artigos e tenha impacto na ciência; pois só assim nós seremos representados cientificamente, fora da política”, diz o bioquímico Daniel Martins de Souza, de 37 anos, professor do Instituto de Biologia da Unicamp. Ele elogia a ênfase dada por Brito Cruz ao programa Jovens Pesquisadores da Fapesp, que tem atraído muitos jovens cientistas de volta ao Brasil — incluindo ele próprio. “É um programa que tem sido essencial para a nucleação de novos docentes no país”, afirma Souza, que voltou da Alemanha para São Paulo em 2014.

Além da diretoria científica, também deverá definida uma lista tríplice para o cargo de diretor administrativo da Fundação. O agrônomo Joaquim José de Camargo Engler, que estava na função desde 1993, concluiu seu mandato em fevereiro.

Integrantes do Conselho Superior da FAPESP:

José Goldemberg (presidente)

Eduardo Moacyr Krieger (vice-presidente)

Carmino Antonio De Souza

Fernando Ferreira Costa

João Fernando Gomes de Oliveira

João Grandino Rodas

José de Souza Martins

Julio Cezar Durigan

Marilza Vieira Cunha Rudge

Pedro Luiz Barreiros Passos

Pedro Wongtschowski

Suely Vilela

Correção: A versão original desta reportagem dizia que o diretor administrativo Joaquim Engler havia sido “dispensado” do cargo em 14 de fevereiro. Na realidade, seu mandato acabou e ele não é mais pretendente ao cargo.

fapesp

0 Comentários